Ninfa Colheita Branco 2012

É um vinho da Região do Tejo, fresco e com textura e com um grau alcoólico de 13,5%.
Tem castas de Sauvignon Blanc (85%) e Fernão Pires (15%).
É um vinho cheio, com textura e mineral com notas de fruta de caroço e folhas de chá de menta e um aroma de frescura limonada e exuberância.
As uvas foram colhidas numa primeira fase para realçarem a frescura em termos de aromas e acidez, com fermentação e estágio, até ao engarrafamento em cuba.
Acompanha pratos de peixe e/ou marisco.

Eu acompanhei com um arroz de lagosta e gambas (ver aqui).



Castas

Sauvignon Blanc é uma casta de uva branca, com origem na região de Bordeaux, considerada uma das uvas finas mais nobres do mundo, ancestral da Cabernet Sauvignon. Tem colheita precoce, geralmente realizada logo no inicio do verão.
Apresenta características de leveza e frescura que são melhor mantidas em climas frios e amenos, pois quando plantada em clima quente, pode ficar descaracterizada, perdendo a elegância e ganhando em excesso um aroma frutado, que pode ficar enjoativo.
Os enólogos indicam o estágio em tanques inox, sobre as próprias borras.
Por não produzir vinhos para longos envelhecimentos, o consumo ideal dos rótulos fica entre o 1º e o 6º ano de colheita. Quando o vinho é jovem, apresenta coloração esverdeada, que evolui para o palha dourado em poucos anos.
Tem acidez aguda, é fresco, apresenta aspetos minerais e é bastante frutado. mantém a limpidez pois raramente fica impregnado de carvalho.
Um bom Sauvignon Blanc, geralmente, oferece ao nariz aromas de frutas tropicais, como maracujá e abacaxi ou ainda de melão e pêra.

Fernão Pires (ou Maria Gomes) é uma das castas brancas mais plantadas em Portugal, ocupando uma mancha regular que se estende por todo o país, embora nas regiões do Tejo, Lisboa e Bairrada assuma maior protagonismo.
É uma casta que tem uma maturação muito precoce, por isso é uma das primeiras castas portuguesas a ser vindimada.
A produtividade elevada, a versatilidade, precocidade e riqueza em compostos aromáticos, ajudam a explicar a popularidade. Como é uma casta muito plástica, é também utilizada em estreme e lote, aceitando ainda a espumantização e a vindima em colheita tardia, para obtenção de vinhos doces. Por regra, os vinhos desta casta devem ser bebidos jovens.
Além disso, é muito sensível às geadas e desenvolve-se melhor em solos férteis, de clima temperado ou quente.
Esta casta possui um bom teor alcoólico e uma acidez baixa/média e por isso os descritores aromáticos que lhe estão associados alternam entre a lima, o limão, as ervas aromáticas, a rosa, a tangerina e a laranja.

13 comentários:

  1. OI Susy, esse vinho me pareceu muito bom. A minha sogra é portuguesa e por isso sempr eestamos experimentando os vinhos de Portugal. Esse eu não conhecia.
    beijos
    Chris
    Inventando com a Mamãe

    ResponderEliminar
  2. Pois, de facto é um belo vinho e acomphado de um arroz de lagosta e gambas c/ "Viagra" (piri-piri do Solar dos Presuntos) LOL ainda melhor !!
    Bjs

    ResponderEliminar
  3. Haja alguém que goste de vinhos! Cá em casa bebe-se vinho diariamente!

    ResponderEliminar
  4. Hummmm, que bom!!! Nada como um bom vinho para relaxar!
    Beijinhos, boa sexta!

    ResponderEliminar
  5. Vinhos são bem vindos sempre e sendo de boa qualidade melhor ainda!

    Bjs

    ResponderEliminar
  6. Fernão pires são as nossas uvas preferidas!!!

    ResponderEliminar
  7. bem frequinho deve ser uma maravilha bjs bfs

    ResponderEliminar
  8. Eu não pesco nada de vinhos sinceramente... mas se aconselhas é porque deve de ser bom! ;)
    Beijinhos doces e bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  9. Olá.
    Gostei das sugestões.A refeição fica mais apetitosa acompanhado de um vinho.
    Bjs,ótimo final de semana.

    ResponderEliminar
  10. Deve ser muito bom, tem aspeto disso.
    Bjn
    Márcia

    ResponderEliminar
  11. Um bom vinho ninguém resiste. bj

    ResponderEliminar