Monte das Nogueiras Branco 2013

... por TERTÚLIA DA SUSY em 15 de janeiro de 2015

É um vinho Regional Alentejano, duma vinha de 50 hectares da zona de Estremoz com solo limo-argiloso.

Possui um grau alcoólico de 13,1% e as suas castas são Arinto e Antão-Vaz.
É um vinho aromático com alguma complexidade que, na boca é fresco, revela boa acidez e tem um final persistente.
Estagiou 1 mês em garrafa e deve ser consumido enquanto jovem, no próprio ano ou no seguinte.
É ideal para acompanhar saladas, mariscos e peixes grelhados e deve ser servido à temperatura de 10-12ºC.

Sugestões de acompanhamento:


Castas

Tinta Roriz ou Aragonez é uma das castas mais conhecidas da Península Ibérica. Originária de Espanha, onde toma o nome de Tempranillo. É uma casta muito adaptável a diferentes climas e solos, por isso o seu cultivo tem aumentado e alargado para as regiões do Dão, Ribatejo e Estremadura.
Para as características serem excelentes, a sua produção tem de ser controlada. As condições ideais são solos arenosos e argilo-calcários em climas quentes e secos, para que a produção seja menor e os bagos mais concentrados. Esta casta origina vinhos de elevado teor alcoólico, de baixa acidez e indicados para envelhecer, sendo muito resistentes à oxidação.

Trincadeira é conhecida também por Trincadeira Preta, Tinta Amarela, Espadeiro, Crato Preto, Preto Martinho, Mortágua e Rabo de Ovelha Tinto.
É uma variedade temperamental, uma casta de amores e ódios extremados, particularmente bem adaptada às regiões mais quentes do país. Especialmente vigorosa, necessita de vigília e refreio permanentes, de cuidados extremos no controlo da produção.
Dá corpo a vinhos aromáticos e frutados, tendencialmente florais, por vezes com apontamentos vegetais quando a maturação é deficiente.
Entre as suas distintivas e conveniências conta-se a elevada acidez natural, caraterística desejada e necessária nas terras quentes do Alentejo. Por tradição, a Trincadeira surge regularmente associada à casta Aragonês, um dos seus parceiros de eleição, formando um dos lotes mais complementares e felizes do Alentejo. Apesar de difícil e temperamental, é uma casta indispensável no Alentejo.

3 comentários:

  1. Gosto muito de vinho alentejano. E branco e verde em geral! :)
    Beijinho,
    Sarinha - No Conforto da Minha Cozinha

    ResponderEliminar